Saltar para os conteúdos
Virtudes, feições, costumes e manhas del Rei…

Virtudes, feições, costumes e manhas del Rei…

Crónicas manuscritas da BNP

O número muito considerável de textos literários e históricos copiados em finais do séc. XVI e durante todo o século XVII, recorda-nos constantemente que o processo de escrever à mão não foi demolido pelo desenvolvimento da tipografia. Na verdade, a imprensa não substituiu de forma imediata uma cultura manuscrita que continuou a funcionar de modo eficaz para a circulação dos textos. E mesmo no séc. XVIII, a prevalência das cópias que chegaram aos nossos dias e que se conservam disponíveis nas bibliotecas e arquivos portugueses neste género histórico literário em particular – a crónica – , em tudo aponta para o sucesso da sua divulgação.

A Biblioteca Nacional de Portugal conserva nas suas coleções mais de 140 códices desta categoria, crónicas dos reis de Portugal, crónicas religiosas (na época moderna, este género tomou preferencialmente o nome de “Memórias”, sendo redigido por contemporâneos dos acontecimentos), baseadas em relatos históricos e episódios que começam na Idade Média, por vezes na Antiguidade, expostos de modo informativo, ou recorrendo a alguns artifícios literários.

Estes manuscritos na sua maioria não são iluminados, não apresentam encadernações luxuosas, ou de aparato, nem foram escritos com o engenho caligráfico dos copistas experientes; muitos espécimes foram anotados e emendados, acrescentando-se, por vezes, no livro, pequenas notícias ou comentários a determinadas passagens. Alguns sinais de “cansaço” quer dos materiais de suporte, quer das encadernações, evidenciam um manuseamento intenso.

Nos relatos de Fernão Lopes, sem dúvida o autor dominante no repositório de crónicas manuscritas da BNP, está patente o seu reconhecido artifício literário aliado ao método historiográfico de consulta de documentos originais. Entre textos completos e outros parcelares, contam-se mais de 40 manuscritos, sendo frequente agregarem-se narrativas de vários cronistas, como Zurara, Rui de Pina e Duarte Galvão, num só volume.

Crónicas de D. Pedro I, D. Fernando e D. João I
[ Crónicas de D. Pedro, D. Fernando e D. João I / Fernão Lopes] – [1525-1575]
BNP ALC. 296

Cópia em papel, proveniente da Livraria do Mosteiro de Santa Maria de Alcobaça. Tal como a maioria dos códices que pertenceram à denominada livraria de mão, este exemplar foi produzido no scriptorium do Mosteiro e compreende três crónicas, a de D. Pedro, D. Fernando e a de D. João I, escrita em 1443 publicada pela primeira vez em 1644.

Crónica de D. Pedro/Fernão Lopes
Crónica de D. Pedro/Fernão Lopes. – [1475-1525]
BNP IL. 123
Raro exemplar em pergaminho, decorado com iluminuras não figurativas, algumas delas inacabadas. Reúne no mesmo volume a Crónica de D. Pedro e a de D. Fernando. A primeira foi publicada em 1735, e a Crónica de D. Fernando, escrita em 1436-1443, viria a ser impressa em 1816.

Crónica de D. João I: 2a parte
Crónica de D. João I: 2a parte / [Fernão Lopes]. – [15–]
BNP A.T./L. 78

Cópia muito anotada e corrigida, que pertenceu à livraria dos Condes de Tarouca.

Primera parte da coronica del Rey Dom João o primero desse nome
Primera parte da coronica del Rey Dom João o primero desse nome / [Fernão Lopes]. [15–]
BNP COD. 950

Escrita por vários copistas, pertenceu à livraria de D. Francisco de Melo Manuel (1773-1851).

Chronica do mui nobre Rei Dom João de Boa Memoria o p.ro do nome em Portugal
Chronica do mui nobre Rei Dom João de Boa Memoria o p.ro do nome em Portugal / [Fernão Lopes]. – [Depois de 1599]
BNP A.T./L. 69

Cópia do séc. XVII da obra escrita em 1443, que pertenceu à livraria dos Condes de Tarouca.

Crónica de D. Afonso V
[ Crónica de D. Afonso V / Rui de Pina]. – [1501-1600]
BNP ALC. 291

A produção de Rui de Pina está também expressivamente representada nas coleções da BNP, incidido nos reinados de  D. Duarte, D. Afonso V, D. João II e também na primeira dinastia.

A Crónica de D. Afonso V foi escrita entre 1490 e 1504 (o primeiro autor provável será Gomes Eanes de Zurara, sendo a continuação da autoria de Rui de Pina). O original, em pergaminho iluminado, encomendado e produzido para D. Manuel, pertence ao Arquivo Nacional da Torre do Tombo.

Crónicas dos Reis de Portugal
Pina, Rui de, 1440?-1522? [ Crónicas dos Reis de Portugal ]. – [15–]
BNP COD. 807

Esta obra, que descreve os principais acontecimentos dos reinados de D. Afonso Henriques até ao reinado de D. Afonso IV é publicada em finais do séc. XVI. Cópia  escrita por um só copista, em letra humanistica cursiva.

São naturalmente numerosas as cópias das crónicas de Gomes Eanes de Zurara nas   colecções da BNP , destacando-se a  Crónica da Tomada de Ceuta, (terceiro capítulo da Crónica de D. João I), Crónica da Conquista da Guiné, Crónica do Conde D. Pedro de Meneses, e Crónica do Conde D. Duarte de Meneses.

Chronica dos feitos do Conde Dom Pedro de Meneses primeiro Capitão que foi na cidade de Cepta
Chronica dos feitos do Conde Dom Pedro de Meneses primeiro Capitão que foi na cidade de Cepta / Gomes Eanes d’Azurara. – [1651-1700?]
BNP COD. 12982

Publicada pela Academia Real das Ciências em 1792.

Chronica do Conde Dom Duarte de MenesesChronista mandada escrever por el-Rey D. A.o o 5º
Chronica do Conde Dom Duarte de MenesesChronista mandada escrever por el-Rey D. A.o o 5º / per Gomes Anes de Zurare. – [16–]
BNP A.T./L. 68

Foi  publicada pela Academia Real das Sciencias em  1793.

Pertenceu a Manuel Severim de Faria e depois à  Livraria do Marquês de Alegrete.

Todos estes exemplos revelam-nos uma literatura que se mostrava  actual para o público leitor, em parte porque tinha a seu favor uma dimensão lúdica que importa anotar, seguindo, ao mesmo tempo, uma modalidade narrativa não muito afastada da utilizada na historiografia, esclarecendo-se o leitor com a “autoridade” da História, sempre bem patente nos Prólogos.