Saltar para os conteúdos
0 «nosso» Prémio Nobel da Literatura

0 «nosso» Prémio Nobel da Literatura

Diploma
Diploma concedido a José Saramago pela Academia Sueca como Prémio Nobel da Literatura. – 1998 Dec. 10.

Diploma concedido a José Saramago pela Academia Sueca como Prémio Nobel da Literatura. – 1998 Dec. 10.  A 8 de outubro de 1998 a Academia Sueca anunciava em comunicado à imprensa: o Prémio Nobel de Literatura 1998 é concedido a José Saramago, escritor «que, através de parábolas sustentadas pela imaginação, compaixão e ironia, nos permite apreender continuamente uma realidade fugidia». Cumpria-se, no que à Literatura diz respeito, o ritual para concretizar o enunciado nas disposições testamentárias de Alfred Nobel, conceder «prémios àqueles que, durante o ano anterior, conferiram o maior benefício à humanidade». Pela primeira vez, era galardoado um Escritor português.

À hora do anúncio, Saramago preparava-se para deixar Frankfurt, onde participara na Feira do Livro, e rumar a casa, em Lanzarote, Ilhas Canárias. E foi na sala de embarque do aeroporto, um espaço de anonimato, um «não-lugar» como diria Marc Augé, e pela voz de uma funcionária da companhia de aviação, que recebeu a notícia. «Aturdido», dirá a uma jornalista, regressou ao certame onde celebrou com os membros da delegação portuguesa participantes no evento e outros representantes internacionais do mundo das letras. Dias depois, Portugal, «um país levantado de alegria» – palavras de Eduardo Prado Coelho -, saiu com ele à rua festejando o Escritor, a sua obra literária e o seu prestigiado galardão.

A 10 de dezembro teve lugar o ponto alto das comemorações, a cerimónia de entrega dos prémios, simbolicamente materializada em uma medalha e um diploma. A primeira está hoje na sede da fundação que o autor viria a criar. O segundo foi sua vontade que passasse a figurar como património nacional, doando-o à Biblioteca Nacional. Integra o seu Espólio desde 24 de maio de 1999. Peça única, obra de arte criada para a Fundação Nobel por artistas e calígrafos, ostenta o nome do laureado, regista para a posteridade o estatuto atingido pela «arte romanesca multifacetada e obstinadamente criada», em língua portuguesa, por José Saramago, o «nosso» Prémio Nobel da Literatura.

 

Bibliografia:

Viel, Ricardo – Um país levantado de alegria. Lisboa: Porto Editora, 2018

Discursos de José Saramago na cerimónia de entrega do prémio e no baquete de homenagem aos laureados com o Prémio Nobel 1998 – https://www.josesaramago.org/discurso-pronunciado-por-jose-saramago-no-dia-10-de-dezembro-de-1998-no-banquete-premio-nobel/

Sítio Web Coleção José Saramagohttp://purl.pt/13867/1/